Governo da Paraba

 
PDF Imprimir E-mail
Sex, 25 de Novembro de 2011 09:38
AddThis Social Bookmark Button

Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável

 

 

Estudos já comprovaram que a aptidão empreendedora do brasileiro encontra-se, na forma latente, em todos os recantos do Estado.
Cabem ações para transformar essa riqueza potencial conscientizando e estimulando os agentes de transformação do desenvolvimento local sustentável.
Os gestores públicos e Instituições como o SEBRAE devem deflagrar o processo e assumir inicialmente a representatividade estratégica dessa iniciativa. Infelizmente o Estado empreendedor está de fora dessa nobre e notável missão.
Iniciar por construir uma agenda que privilegie condições de acesso aos meios para surgir e consolidar os negócios: crédito, tecnologia, apoio técnico-gerencial, capacitação de recursos humanos constituem pontos da maior relevância.
Setores potenciais de fácil localização, em todo o território do Estado são (1) a pequena produção agropecuária e a indústria de pequeno porte voltada para os mercados locais (2) serviços pessoais, de manutenção e reparação; (3) comércio de pequena dimensão (4) trabalhadores autônomos (6) associações, colaboradoras do desenvolvimento local.
Os estudiosos mais consagrados das questões sociais e da gestão das organizações recomendam não adotar nenhuma medida de caráter organizacional antes que se tenha absoluta nitidez e clareza quanto à missão a ser cumprida.
A missão aqui proposta deve responder as seguintes perguntas: Por que as Instituições estimuladoras do desenvolvimento local fazem o que fazem? Qual a missão e o nobre propósito das estratégias propostas?
Uma pergunta para despertar "pelo que, no fim, um governante ou um empreendedor quer ser lembrado?" Claro que é de todo relevante ter uma visão de futuro: Como queremos o nosso país no ano de 2028? Considerado o limite temporal de uma geração, ou seja, 18 anos.
Esse é o caminho mais eficaz para apoiar o desenvolvimento local. As questiúnculas atuais, as querelas políticas, o provincianismo na discussão das graves questões deixa visível a inconsistência do pensamento político quanto à missão e ao futuro do Estado.
Não se enganem! A sociedade está cada vez mais atenta aos movimentos dos que continuam ansiosos por assumir o poder, sem propostas objetivas e concretas para a solução dos graves problemas que afligem o Estado.
Já é perceptível ao inconsciente coletivo um novo paradigma. O da modernidade no trato dos bens da população, principalmente dos menos assistidos, entre eles a auto-estima, a dignidade e a valorização do lugar onde as pessoas vivem.
Já se têm larga comprovação da eficácia quanto às iniciativas aqui propostas. Avaliem os impactos favoráveis que o SEBRAE tem obtido, com a parceira e a sustentação dos agentes e população locais. O desenvolvimento local é viável, sim! Somente o Estado ainda não despertou para essa expressiva verdade.

mapaEstudos já comprovaram que a aptidão empreendedora do brasileiro encontra-se, na forma latente, em todos os recantos do Estado.Cabem ações para transformar essa riqueza potencial conscientizando e estimulando os agentes de transformação do desenvolvimento local sustentável.

Os gestores públicos e Instituições como o SEBRAE devem deflagrar o processo e assumir inicialmente a representatividade estratégica dessa iniciativa.

Infelizmente o Estado empreendedor está de fora dessa nobre e notável missão.Iniciar por construir uma agenda que privilegie condições de acesso aos meios para surgir e consolidar os negócios: crédito, tecnologia, apoio técnico-gerencial, capacitação de recursos humanos constituem pontos da maior relevância.Setores potenciais de fácil localização, em todo o território do Estado são (1) a pequena produção agropecuária e a indústria de pequeno porte voltada para os mercados locais (2) serviços pessoais, de manutenção e reparação; (3) comércio de pequena dimensão (4) trabalhadores autônomos (6) associações, colaboradoras do desenvolvimento local.Os estudiosos mais consagrados das questões sociais e da gestão das organizações recomendam não adotar nenhuma medida de caráter organizacional antes que se tenha absoluta nitidez e clareza quanto à missão a ser cumprida.

A missão aqui proposta deve responder as seguintes perguntas: Por que as Instituições estimuladoras do desenvolvimento local fazem o que fazem? Qual a missão e o nobre propósito das estratégias propostas?Uma pergunta para despertar "pelo que, no fim, um governante ou um empreendedor quer ser lembrado?" Claro que é de todo relevante ter uma visão de futuro: Como queremos o nosso país no ano de 2028? Considerado o limite temporal de uma geração, ou seja, 18 anos.Esse é o caminho mais eficaz para apoiar o desenvolvimento local.

As questiúnculas atuais, as querelas políticas, o provincianismo na discussão das graves questões deixa visível a inconsistência do pensamento político quanto à missão e ao futuro do Estado.Não se enganem!

A sociedade está cada vez mais atenta aos movimentos dos que continuam ansiosos por assumir o poder, sem propostas objetivas e concretas para a solução dos graves problemas que afligem o Estado.Já é perceptível ao inconsciente coletivo um novo paradigma. O da modernidade no trato dos bens da população, principalmente dos menos assistidos, entre eles a auto-estima, a dignidade e a valorização do lugar onde as pessoas vivem.Já se têm larga comprovação da eficácia quanto às iniciativas aqui propostas. Avaliem os impactos favoráveis que o SEBRAE tem obtido, com a parceira e a sustentação dos agentes e população locais.

O desenvolvimento local é viável, sim! Somente o Estado ainda não despertou para essa expressiva verdade.

 

 
 


IDEME - Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual

Av. Amazonas, 323 - Bairro dos Estados - CEP:58030-140 - João Pessoa -PB.

Tel.: (83)3211-8032 Fax: (83)3211-8039

 

IDEME - Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual

Av. Amazonas, 323 - Bairro dos Estados - CEP:58030-140 - João Pessoa -PB.

Tel.: (83)3211-8032 Fax: (83)3211-8039